Liberada a venda de sibutramina

Após estudos realizados sobre os riscos do medicamento, diretor-presidente da Anvisa defende que seja permitida a venda de sibutramina

A Sibutramina, medicamento indicado para controlar o apetite de pessoas com problema de obesidade, que age prolongando a sensação de saciedade, auxiliando assim, as pessoas que comem compulsivamente, continuará a ser vendido, mediante prescrição médica, no Brasil.

A decisão que mantém permitida a venda de sibutramina foi tomada recentemente pela diretoria da Anvisa, foram dois votos contra o voto do membro do colegiado, José Agenor Silva, após análise realizada pelo período de um ano sobre os riscos da sibutramina para a saúde das pessoas.

Será permitida a venda de sibutramina por um período de no mínimo dois anos, que é o prazo definido até que saia nova decisão a respeito da permanência ou não da venda da sibutramina.

Em 2011, a Anvisa estabeleceu regras concisas a respeito da venda do medicamento, onde foi determinado encurtamento do prazo de validade para as receitas médicas, ficando em 30 dias, sendo que antes era de 60 dias, e ficou sendo permitida a venda de sibutramina somente para pacientes que não apresentam nenhum tipo dos riscos apresentados nos estudos realizados sobre o uso da substância onde foram apontados entre outros indicações de que a sibutramina poderia aumentar em 16% o risco de doenças cardiovasculares em pacientes com predisposição para esse tipo de problema, fato que gerou a proibição da venda do produto em países da Europa, Estados Unidos, Canadá e Austrália.

Para que os medicamentos com base em sibutramina possam de fato auxiliar no emagrecimento de maneira mais eficaz é fundamental que os pacientes façam uso com acompanhamento médico e uma reeducação alimentar, associados a exercícios físicos, durante o tratamento com o cloridrato de sibutramina que caiu no gosto popular devido a sua eficácia comprovada.

Comente (será moderado)